A história do Marketing de Guerrilha

 

Vemos quase todo dia novas ações de Guerrilha surgindo pelo mundo. Já postamos diversas guerrilhas criativas aqui no Comunicadores e você certamente já viu muitas outras em outros blogs.

Mas uma coisa que pouca gente sabe é a história do Marketing de Guerrilha. Por isso, baseado em um especial do blog WebUrbanist, resolvi contar um pouco pra vocês neste post a origem dessa técnica de comunicação que é tão comum hoje em dia e está crescendo cada vez mais.

Separei na forma de uma linha do tempo pra facilitar o entendimento:

1940 – Educação
Naquela época, o principal objetivo das propagandas era educar o público-alvo em vez de distrair ou engajá-los. Os anunciantes presumiam que os consumidores precisavam ser ensinados.

1960 – Grandes campanhas
A publicidade era composta principalmente por grandes orçamentos, grandes exposições, jingles cativantes, cartazes em público, anúncios em jornais e revistas e mais tarde, comerciais de televisão.

1970 – Menos eficazes
Os anunciantes começaram a notar que as suas técnicas publicitárias foram ficando cada vez menos eficazes. Até a década de 70, a publicidade no mundo estava pronta para uma revolução.

1984 – Revolução
E essa revolução veio quando o livro das idéias de Jay Conrad Levinson para publicidade com grandes resultados e pequeno investimento chegaram as livrarias. As idéias que os pequenos empresários tiveram a partir do livro mudaram completamente a forma de como a publicidade era feita. Através das novas técnicas de guerrilha, as pequenas empresas estavam começando a se diferenciar no mercado.

2008/2009 – Investimento
Atualmente, com a saturação da mídia tradicional, a fragmentação da audiência e das mídias, e a dispersão do target, grandes empresas vêm investindo no Marketing de Guerrilha. Faz-se necessárias cada vez mais uma comunicação mais ousada e criativa, que não dependa tão somente de grandes investimentos de mídia e piadas prontas.

Se você quer se aprofundar mais nesse assunto e entender a guerrilha nos tempos antigos e atuais, sugiro a leitura completa do especial feito pelo blog WebUrbanist ano passado.

E aí, pronto pra guerra?




  • Bruno Divetta

    TKS for sharing :-)

  • http://www.comunicadores.info Guilherme Cury

    Boa brunovisky!

  • http://liveninja.blogspot.com Leonardo

    Boaa! :)

  • http://spacemkt.blogspot.com Alessandro

    Bruno, muito interessante essa linha do tempo que vc descreveu para contar a história do marketing de guerrilha, porém na década de sessente vc menciona publicidade, onde a meu ver seria propaganda ou comunicação, pois na publicidade a empresa não tem controle sobre ela, não tem custo para empresa, e pode positiva ou negativa; já a propaganda, a empresa é quem decide como vai ser a propaganda, quanto de recurso poderá ser direcionado, em fim a empresa tem o controle sobre a campanha.

    Abraços.

  • Bruno Delfino

    Isso mesmo Alessandro, quando eu falo da publicidade na década de 60 eu me refiro a propaganda e comunicação.

    Valeu

    Abs

  • fabiana

    Muito bem essa linha de ponto que vc descreveu , para acrescentar mais um pouco, pois sou estudante de gestão e marketing da Uniderp Interativa. No Marketing quem deu os primeiros passos para a difusão do Marketing foram por Peter Ducker, ainda que implicitamente, em 1954, com o lançamento do livro “A Prática da Administração”, Não se tratava propriamente de um estudo detalhado sobre Marketing, mas foi o primeiro registro escrito que cita esta ferramenta como uma força poderosa a ser considerada por administradores focados no mercado, dai então para frente ouveram varias descobertas sobre o Marketing .Resumindo o que o Marketing é na verdade em outras palavras: “Marketing é a troca de bens de consumo realizada entre pessoas com objetivo de satisfazer uma necessidade ou um desejo”.
    um grande abraço.