Há ações que têm tom humorístico, outras passam qualidade de vida, algumas emocionam e há, também, aquelas que, por alguma circunstância, são desenvolvidas para provocar terror  e medo.

Em ação para a ONG Think!, a agência Leo Burnett britânica juntou aspectos que acredito que nós, comunicadores, deveríamos analisar e pensar se ainda vale usar ou se esse tipo de ação já deu. Assista no vídeo acima e dê a sua opinião.

Fazer pegadinhas pode, já cansou, é uma boa forma de chamar atenção ou tem limites?

E ações que assustam pessoas aleatórias para depois serem repercutidas por aí? Vale? Há os que não gostam desse tipo de ação, há os que acham que a área de comunicação está ficando muito chata e atrasada com tantos ‘mimimis’ e proibições.

O que você acha? Gostou da ação?

Deixe seu comentário