Nesse ano de 2015 eu tive três surpresas com jogos. Três ótimas surpresas. A mais recente foi com um jogo indie que se passa totalmente no desktop do Windows XP, e é uma conversa de Instant Messenger. A segunda, milhões de pessoas ao redor do mundo tiveram: Metal Gear Solid V. Desde MGS2 eu não acompanho a história de Snake (qualquer um deles) e fiquei surpreso em ver como a série evoluiu sem perder a sua essência. Mas a maior surpresa foi com o jogo que ganhou o prêmio de melhor narrativa de 2015: Her Story.

Pra quem não conhece, Her Story é um jogo muito diferente do normal. Não existe exploração ou ferramentas complexas. Na verdade o que existe é um sistema de busca, e vários vídeos curtos, que são partes do depoimento da esposa de um homem que sumiu.

O objetivo do jogo é fazer com que o jogador descubra o que aconteceu com esse homem, apenas ouvindo o que a mulher tem a dizer sobre a sua história – seja com o marido desaparecido, seja quando era criança ou adolescente.

her story her story

Mas não existe uma lista onde você vai clicando no vídeo que quer. É preciso ir descobrindo que palavras colocar na ferramenta de busca do jogo. E pra isso, é preciso agir como um detetive, prestando muita atenção no depoimento, buscando pistas ou incoerências na história contada. É importante, até mesmo, observar gestos e olhares, entender o que está por trás das palavras. Só assim você conseguirá desvendar a história e saber o que aconteceu em 1994.

Eu entrei tanto no clima, que fui desenvolvendo um quadro de anotações, ao invés de usar a ferramenta de descrição de vídeo que tem no jogo.

her story

Her Story é um jogaço, que possui um gameplay bem simples, mas conta a mesma história de uma maneira diferente para cada jogador. E essa é a genialidade da coisa: a história em si não é excepcional, apesar de ser boa. A forma como você vai descobrindo ela, é que é muito mais interessante do que qualquer outro jogo de 2015 conseguiu apresentar.

her story her story

Esse foi um prêmio bem merecido para Sam Barlow, o criador do jogo que também já foi o responsável por um Silent Hill.

Deixe seu comentário