Segunda-feira, além de ser um dos dias mais difíceis de se levantar da cama, é também o dia das ‘grandes mudanças’, é quando a gente – geralmente – acorda mais determinado a começar um regime, correr no parque, mudar de emprego ou até mesmo parar de fumar! Eis aqui a já famosa e polêmica campanha que vem fazendo um barulho absurdo nos Estados Unidos – nós garantimos que vale o choque/play acima.

Não existem muitas campanhas chocantes aqui no Brasil, particularmente, sou um dos maiores defensores deste tipo de pratica, acredito que o apelo chocante – que explora o ‘verdadeiro’ sensacionalismo – em causas nobres é o que acaba por gerar visibilidade e, principalmente, perplexidade para toda a audiência impactada.

É exatamente o apelo que a CDC (Centers for Disease Control and Prevention) utilizou em sua nova campanha, e é o que tem gerado uma enorme polêmica nos Estados Unidos, local onde foi lançada. É garantido que esta nova linha e conscientização não deve passar nem um pouco despercebida, olha só o comercial que tem a dica da Terrie:

Acredito que você tenha ficado chocado com a situação e, consequentemente, tenha se sensibilizado com a sensata causa. Afinal, uma é proveniente da outra, o comercial é o resultado de uma bola de neve! É válido ressaltar que campanha inteira gira em torno do depoimentos de ex-fumantes – que passam por situações parecidas com a de Terrie – e você pode checar isso no canal oficial da CDC no Youtube- basta clicar aqui.

A campanha será veiculada durante 12 semanas em todo o território nacional dos Estados Unidos e em inúmeros formatos, desde comerciais de televisão, até rádios, outdoors e impressos. Todos explorando esta mesma reação que você  – leitor do comunicadores – teve. A prova disso é o play e o replayque você certamente deu – no comercial da Terrie.

Olha um exemplo do material impresso:

Acredito que não seja algo fácil de se compartilhar, mas acho que vale o toque’ para aquele parente ou amigo(a) que ainda insiste em fumar, afinal, é só uma dica de quem também fumava, né? É bem válido passar adiante.

Deixe seu comentário