Há pouco tempo, falamos aqui no Comunicadores, sobre a Dismaland.”. Houve muita conversa, por se tratar de um parque temático que representa uma distopia. Agora, o Banksy deu um passo além e transformou Londres em uma extensão da sua atração.

Em uma noite, trezentos pontos de publicidade da cidade, foram ocupados por cartazes que falam como a Inglaterra contribui para a criação de guerras, manutenção de regimes ditatoriais e a morte de inocentes, através da indústria armamentista.

Um dos cartazes convida as pessoas à irem até uma feira de armas e contribuir para a indústria que fornece ferramentas para a manutenção do poder em vários dos países onde menos se respeitam os direitos humanos.

Com o conceito “Made in Britain” (“Feito na Bretanha”, em tradução livre), as artes dos posters, não são do Banksy. Elas foram criadas por vários artistas que trabalharam na criação de Dismaland, e colocadas – principalmente – em pontos de ônibus e no metrô. Aparentemente, tudo foi feito de forma legal, em pontos de publicidade comprados pela Dismaland.

dismaland-londres 3

Mesmo assim, a empresa pública de transportes londrina, diz que os cartazes foram considerados como vandalismo, e que já estão sendo retirados.

dismaland-londres 2

É muito engraçado ver isso acontecer. No fundo, esse protesto anti-armamentista, tem um alvo: a feira de armas que acontecerá em Londres.

E o poder público da cidade, ao invés de permitir o debate sobre o tema, trata os anúncios como algo ilegal. Isso serve pra ver que o problema de autoritarismo não o ocorre só nos países latino-americanos…

Deixe seu comentário