Como toda peça de comunicação, uma apresentação transmite sensações. Para que ela seja trabalhada da maneira correta, precisamos entender o tipo de sensações que queremos transmitir com aquele material em particular para, depois, produzi-lo de maneira adequada.

O que pode parecer muito natural e comum para alguns profissionais, para muitos outros é uma grande novidade. Pensar no design dos slides da sua apresentação vai muito além do julgamento pessoal (e muitas vezes pouco embasado) do que é “bonito” ou “feio”. Vá para o caminho do “funciona” ou “não funciona” para a minha comunicação.

Esse é um dos grandes erros que encontramos no mercado hoje. O julgamento do design por parte do apresentador com peso emocional pessoal. É muito raso para a discussão da sensação que queremos passar com a apresentação.

Para acertar na sensação, temos que pensar em um conjunto de informações que, juntas, transmitem essa ideia. Roteiro, tom de voz, ritmo, tipologia, tipo de ilustração – se usaremos fotos, ilustrações, ícones, etc – e também as cores. Para você que não é designer e quer criar uma apresentação impactante, pense nas cores da seguinte maneira:

Comece pelos usos de cores da sua empresa/mercado ou produto. Aí estarão as primeiras pistas de como começar a buscar as cores. Veja quais são as cores do brandbook da sua empresa, quais são as cores bem vistas no seu mercado (sabemos que cada mercado tem suas peculiaridades com as cores), estude as cores das suas concorrentes, para saber quais não usar.

O segundo passo é estudar o assunto da sua apresentação, qual reação você quer despertar e quem é o seu público-alvo. Se você vai apresentar informações do seu planejamento para a diretoria, busca como reação o entendimento das informações e pequenas ações de cada um, e tem um público-alvo mais sério, que está lá interessado em assistir a sua apresentação e não precisa de recursos muito criativos para prestar atenção na sua mensagem, você pode fazer uma apresentação com cores mais sóbrias, usando por exemplo cores análogas do círculo cromático. Elas dão uma sensação de continuidade e tranquilidade.

O segundo passo é entender o tom de voz e de humor do seu material, do ambiente que você vai apresentar e o seu, como apresentador. Pense em uma apresentação de convenção de vendas. Em um grande auditório, onde o objetivo é motivar e energizar a equipe de vendas. O estudo de cores para essa situação muda. E bastante. Seria o caso, por exemplo, de apostar em cores análogas do círculo cromático. Elas estão em lados opostos do círculo, e dão a sensação de riqueza visual e energia para o material.

Esses são apenas os primeiros passos que pensamos para identificar a paleta de cores ideal para uma apresentação. O importante é, antes de começar a criar os seus slides, determinar esses parâmetros criativos e criar a sua paleta. Cinco cores está de bom tamanho, mas três cores também funciona bem. Com esse pequeno estudo prévio, você conseguirá dar as sensações corretas aos seus slides e também, padronizá-los no mesmo link visual.

————-

MonkConteúdo criado em parceria com MonkeyBusiness – www.monkeybusiness.com.br

Apresentações criativas que dão resultados. Essa é a proposta da MonkeyBusiness, agência que une planejamento, estratégia e imersão no cliente, com roteiro e design para criar apresentações inteligentes que garantem resultado.

Deixe seu comentário