Existem erros grosseiros e aqueles mais comuns, que muitas vezes presenciamos tanto com apresentadores experientes como com os amadores. Acontece que acabamos nos acostumando com esses erros mais “leves” e deixamos eles acontecerem nas nossas apresentações.

É importante lembrar que, quando você tem uma apresentação impactante, onde precisa informar, mas também convencer, encantar e engajar o seu público-alvo, esses pequenos erros podem ser verdadeiras bombas. Imagine-se assistindo uma apresentação com storytelling, onde o apresentador te conta uma história ao invés de apresentar. Imagine que esse mesmo apresentador tem um vício de linguagem de terminar todas as frases com “né?”. Qualquer história, com o melhor plot vai ficar insuportável.

Para evitarmos esses pequenos erros, levantamos os mais comuns para, quando você for treinar para a sua apresentação, pensar neles e, se cometer algum, se preocupar em eliminá-los.

Apresentações genéricas

Poucas coisas frustram mais o público de uma apresentação do que o uso de um material genérico para transmitir a mesma informações para várias oportunidades diferentes. O público nota quando o apresentador está adaptando um material: ele passa pelos slides rapidamente, descartando o seu conteúdo, ele pula informações, vai e volta os slides para construir um raciocínio. Isso é muito ruim para a audiência. Desta forma, o professional perde a atenção da plateia, que se perde facilmente e o encantamento praticamente não existe. Muitos continuam olhando os slides apenas por boa educação.

É importante criar materiais customizados para cada situação de uma apresentação. Adaptar o objetivo, mensagem, tempo e público-alvo. Sem isso, são só informações genéricas empilhadas e desconectadas, sofrendo com um esforço do apresentador para dar sentido à elas.

Ideias repetidas

Existe um princípio que usamos muito em apresentações profissionais: é o princípio da mutualidade exclusiva de ideias. O que isso quer dizer? Antes de montar a estrutura de informações e o roteiro da apresentação, listamos quais são as ideias que queremos transmitir e agrupamos elas em mensagens. De maneira que, uma vez usada, a ideia não pode aparecer em nenhuma outra mensagem. Quando você repete a mesma ideia em slides diferentes, dá a impressão ao público que não está desenvolvendo o discurso, e está “andando em círculos”, o que é péssimo para o engajamento, afinal, ninguém segue uma pessoa que não sabe para onde está indo.

Elementos visuais desnecessários

É inegável a importância da imagem em slides, para representar melhor as ideias, manter a atenção e dar qualidade visual à apresentação. Mas cuidado! Muitos apresentadores encaram o design como decoração: fazem os slides com um padrão estético que agrada somente a eles, e lotam todos os espaços vazios com alguma imagem.

O design precisa amplificar sua mensagem, e não distrair ou confundir sua audiência. Pense na mensagem que deseja passar em cada slide, e que imagem você acredita que representa fielmente o que deseja.

————-

MonkConteúdo criado em parceria com MonkeyBusiness – www.monkeybusiness.com.br

Apresentações criativas que dão resultados. Essa é a proposta da MonkeyBusiness, agência que une planejamento, estratégia e imersão no cliente, com roteiro e design para criar apresentações inteligentes que garantem resultado.

Deixe seu comentário