Criar uma apresentação é uma tarefa de várias etapas. Depois de ter pesquisado, planejado, criado roteiro e o design dos slides, você tem que rever o seu material e estudar como vai fazer ele funcionar bem no palco. Como impactar e se comunicar com eficiência com seu público-alvo.

Para muitos, esse momento é o mais importante, porque, no treinamento da apresentação é que lembramos as mensagens, informações, seu fluxo e ritmo e o que fazer para não esquecer de nada, o conhecido “deu branco” na hora da apresentação. Como evitar o esquecimento de informações nesse momento tão importante? Vamos entender:

Nós armazenamos nossas memórias no hipocampo, uma pequena parte do seu cérebro localizada nos lobos temporais. Para gravar essas memórias, é preciso um ajuste das conexões neuronais. Servindo como um veículo para o transporte das informações, os neurônios enviam mensagens através das sinapses. E agora vem a parte que mais nos interessa: o estabelecimento de uma memória de longo prazo envolve uma quantidade mais exigente de trabalho por parte dos neurônios. Para isso acontecer, é preciso expandir as sinapses para melhorar o fluxo dos neurotransmissores.

Para ajudar nesse processo, algumas técnicas para melhorar a memória e o recall de informações pontuais são muito importantes:

1. Repetição

A memória de curto prazo pode se tornar uma memória de longo prazo através da repetição. Durante a fase de design de apresentação, considere inserir o que chamamos de gatilhos visuais. São imagens, ícones ou até key messages (frases-chave) que vão ajudá-lo a lembrar das informações, que devem ser transmitidas no discurso. Com essa estrutura montada, treine a repetição. Ela pode ser feita de diversas maneiras: repetição oral, escrita, ou o que for mais confortável para o seu treino.

Essa técnica deve aparecer já na etapa de roteiro da apresentação, pontuando exatamente o que será ilustrado ou escrito em cada slide. Na etapa de design, separe bem as ideias em figuras diferentes e, dentro de cada uma, crie composições que facilitem a sua lembrança.

2. Visualização

65% das pessoas são aprendizes visuais. Isso quer dizer que, quanto mais imagens melhor. E essa informação pode ser importante para o seu treino: escolha gatilhos visuais para facilitar a lembrança – não só a sua, mas a da sua plateia. De acordo com o princípio de codificação, um apresentador que utiliza imagens em seus slides tem melhores chances que a sua plateia lembre da sua apresentação. Por isso, aposte nas imagens!

3. Entenda a Estrutura

Muitos apresentadores se preocupam apenas em “decorar” o conteúdo dos slides, mas não na sua estrutura. Comece por aqui. A primeira etapa de lembrança que você deve ter é a sequência de informações da sua apresentação. Entenda o começo, o meio e o fim do seu material para depois estudar slide a slide. Crie um esboço da sua apresentação para estabelecer um fluxo lógico do seu conteúdo na sua mente.

4. Ensaio

A prática faz a diferença. Ela dá dinâmica, ritmo e garante as inflexões corretas para a transmissão do conhecimento. Especialmente se essa prática for espaçada por um longo período de tempo. Então, planejamento é essencial. Mas não deixe tudo para a última hora: encaixar uma sessão de treino na noite anterior de uma apresentação, só vai te atrapalhar. Invista em treinos espaçados. Você não só vai atingir um conhecimento mais próximo do seu conteúdo, mas você também irá desenvolver seu tom e linguagem corporal através da prática.

Deixe seu comentário