A epidemia de bocejos do Café Pelé
Dizem que quando uma pessoa boceja e a outra vê a cena, boceja involuntariamente. Confesso que nunca percebi isso. Mas o pessoal da Lew’Lara\TBWA resolveu aplicar esse mistério da humanidade em uma ação para a marca de Café Pele.

Da premissa que o bocejo é contagioso, alguns paineis digitais foram espalhados pela Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo e que exibiam um vídeo de um ator com cara de sono, chamando a atenção e a curiosidade das pessoas.

Com a ajuda de um sensor de presença, quando alguém se aproximava do painel, o ator começava a bocejar continuamente. Isso “contagiava” as pessoas, que logo bocejavam também.

Em seguida, o painel mostrava a mensagem: “Bocejou também? É hora do café. Café Pelé”. A cura da epidemia veio com as promotoras que passaram distribuindo Café Pelé para quem bocejou.

epidemia-de-bocejos-2epidemia-de-bocejos-3epidemia-de-bocejos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Anúncio minimalista do Greenpeace sobre reciclar papel e preservar árvores

Confesso que quando vi essa peça na primeira vez, não percebi a…

Nike | Lace Your Feet Up

Cada vez mais os comerciais da Nike estão se superando, mas esse é literalmente chocante, para a sua chuteira Mercurial V4, que pesa apenas 230g. Uma forma bizzara de demonstrar que a chuteira é tão leve, que parece que você nem está usando-a! Será que um filme desses aqui no Brasil causaria alguma reação negativa?! Nos acompanhe também pelo Twitter: http://www.twitter.com/comunicadores

Sprite cria máquina de refrigerante gigante para banho em praia brasileira

Praia é uma delícia, e prova disso, temos os mais extensos engarrafamentos…

Folha de SP | Abaixo Adedado

Para não deixar passar em branco o Dia Internacional da Alfabetização, que aconteceu dia 8, foi desenvolvida pela África para o jornal Folha de SP, esse anúncio de oportunidade. clique ampliar“Esse abaixo-assinado é uma prova de que muita gente está pedindo mais educação.” Será que preciso escrever mais alguma coisa? É o Brasil…