Categoria: Storytelling

Jaguar apresenta modelo F-Type com curta metragem “Desire”

A Jaguar apresenta novo modelo F-Type com a curta metragem “Desirecriada pela agência de publicidade The Brooklyn Brothers, realizada por Adam Smith e produzida pela Ridley Scott Associates.

Ser capaz de conseguir prender a atenção de quem seja a um vídeo de 2 minutos já é díficil, quanto mais aos 13 minutos que tem a duração do filme. Excessivo? na verdade eu saí supreendido, o curta prendeu minha atenção durante todo o tempo, com uma narrativa simples mas com surpresa no momento certo, com visuais fortes e atuações de muita qualidade das suas três personagens. A trilha sonora também é destaque, com a música “Burning Desire” da Lana Del Rey.

 

Como conteúdo, é semelhante à série BMW Films de há uma década. A comparação é inevitável e todo mundo a está fazendo. Mas na verdade essa comparação é meio inútil. Era a mesma coisa que dizer que não se pode usar mulher em comercial de cerveja porque já foi usado. A questão mais importante é: será que “Desire” vai ter sucesso como publicidade?

Eu acho que o filme cumpre bem o objetivo enquanto publicidade. O Jag aparece em quase todas as cenas, sempre no contexto da história e por isso sua presença nunca é gratuita ou percebida como simples colocação de produto ou merchandising. Mesmo quando Lewis, com uma arma apontada, recita uma ladainha de especificações técnicas do F-Type, o discurso não soa forçado nem fora do lugar. 

Agora me diz, não é verdade que como espectador você fica desfrutando do passeio selvagem, cobiçando sempre o impressionante design e comportamento em estrada do F-Type? Não aconteceu com você?

Ler mais

Storytelling: E se você usasse o Facebook como memória?

O Facebook resolveu promover uma de suas ferramentas, o “People You May Know” através do Storytelling: A funcionalidade que recomenda pessoas para você seguir ou adicionar a sua lista de amigos, não é bem vista por todos e precisava mostrar a sua utilidade. Para isso foi feito um vídeo contando a história de um indiano que, após dormir, esquece tudo que viveu no dia (sim, como a Drew Barrymore em “Como se Fosse a Primeira Vez”), e usa o Facebook como a sua memória.

Facebook Stories: People You May Know

Lembrete: O vídeo tem legendas em português, basta você ativá-las.

Se o Facebook tivesse feito um vídeo listando as características da ferramenta, mostrando possibilidades hipotéticas de como ela poderia ser útil, os usuários se perguntariam “Como ela pode ser relevante pra mim?”. E se demorassem para encontrar uma resposta, logo desistiriam de pensar sobre o assunto.

Contando uma história, o Facebook conseguiu fazer com que a ferramenta mostrasse que é realmente útil, e que pode ser relevante para alguém. E isso faz com que as pessoas atingidas pelo vídeo, também se perguntem “Será que ela, também, pode ser relevante pra mim? Será que ela pode proporcionar uma experiência tão importante pra mim, quanto para ele?”.

E essa é uma pergunta muito importante para preceder o “Como”, pois ela estimula a pessoa a pensar em histórias que ela poderia viver. E essa “fantasia” vai fazer com que ela pense no assunto por mais tempo, e de forma mais emocional e menos racional, aumentando as chances dela usar a ferramenta, porque ela vai querer usar… Vai querer viver uma história tão “importante” quanto aquela que ela viu.

O Storytelling permite que as pessoas vejam um “exemplo prático” do que o produto promovido pode oferecer. Por isso eu achei tão bom esse vídeo… Comecei a imaginar se eu poderia viver uma história tão importante, através do uso do “People You May Know”. E passei a ver essa funcionalidade, que por muitas vezes é irritante, com outros olhos.

E você? Foi tocado pelo vídeo? Gosta da ferramenta, ou passou a gostar?

 

Ler mais

Conheça 22 regras da Pixar para criar uma história cativante

Contar histórias é um desafio. Criar um bom argumento é fácil, difícil é fazer o desenvolvimento dele, e transformá-lo em algo interessante. Atualmente, quem melhor que a Pixar Animation Studios sabe fazer isso? Na minha opinião (e se você tiver uma diferente sinta-se a vontade para dizer nos comentários), niguém. E esse post contém 22 regras…

Ler mais