Inovação e tecnologia são duas palavras que andam de mãos dadas quando o assunto é Heineken. É muito frequente vermos a marca propondo soluções bastante criativas para proporcionar experiências diferenciadas em ações de ativação.

Durante a Milan Design Week, a marca trouxe mais uma proposta interessante, chamada de ‘Heineken Ignite’. Estamos falando basicamente de uma garrafa com LED e sensores, que fazem com que sua cerveja se torne um objetivo interativo por meio de conexão Wi-Fi.

A ideia funciona de forma simples. Durante determinados momentos, ela consegue acender e marcar o ritmo da música que o DJ está tocando durante a festa ou ainda ser iluminada quando você e seus amigos forem fazer um brinde… Enfim, ela fica totalmente sincronizada com o ambiente em que você está, abrindo uma série de possibilidades. E mais, no momento em que você solta a garrafa, ela simplesmente se apaga, voltando ao seu estado normal.

É claro que tudo isso ainda está sendo tratado como conceito (foram feitas 200 unidades), o que nos impede de no momento levantar questões, por exemplo, sobre como seria feita a reciclagem da garrafa, e também quanto o produto custaria para o consumidor.

Mas a proposta tem potencial para funcionar, principalmente em eventos ou ativações específicas. Quem foi ao Lollapalooza este ano, pôde presenciar uma ação da própria Heineken que distribuiu pulseiras que acenderam em determinado momento e acompanharam a música que estava tocando.

Confira abaixo como foi a apresentação do conceito Ignite, desenvolvido pela Tribal DDB.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

LEGO cria coleção com minifiguras de personagens da Disney/Pixar

O anúncio foi no dia 01 de Abril, mas a notícia é…

Gradiente explica seu “iPhone” e avisa que o de Steve Jobs é mais rápido

Depois de anunciar o lançamento de seu “iPhone” (um smartphone Android), a Gradiente, que estava sumida no mercado, explica o porquê do nome de seu novo produto. Em um vídeo, a empresa diz que o iphone é a abreviação de “internet + phone” e diz ter o registro da marca desde 2008 – solicitado em 2000. A Gradiente também comenta sobre a Apple, dizendo ser uma empresa “super competente” e faz uma comparação entre o Gradiente iphone e o iPhone de Steve Jobs: O da Apple “tem mais velocidade e resolução de tela, além de outros recursos”. Dê o play para entender tudo: Sobre o vídeo, dá para se ter vários pontos de vista. Uns podem achar a atitude da Gradiente extremamente “louvável”, já que a empresa foi sincera e humilde, principalmente ao reconhecer as qualidades da Apple. Outros acreditam que eles estão apenas tentando se aproveitar do sucesso e do destaque que a Apple conquistou no mercado.  No vídeo, a Gradiente fala, inclusive, sobre um pouco de sua história e reforça o fato de que está voltando para o mercado. E aí, será que a Gradiente foi humilde ou ela preferiu não comprar uma briga já perdida?  O que você acha?

Lamisil | Acabe com os fungos

Lamisil é um produto indicado para o tratamento de doenças nos pés causadas por fungos  (como frieiras e “pé-de-atleta”). E com a idéia de atingir o público alvo em lojas de calçados e artigos esportivos, a agência Saatchi & Saatchi da Alemanha, criou um material interessante para PDV. Foram colocadas caixas de acrílico onde dentro delas existiam tênis totalmente cobertos por fungos (de mentira) com uma mensagem de Quarentena. A intenção era chocar as pessoas e passar a mensagem de que usando Lamisil, a propagação de fungos é interrompida. Muito bacana, chamativo e nojento, não?