O cenário perfeito para seu comercial, se você vende produtos para gatos
A ideia criativa aparece muitas vezes a partir da observação de como a pessoa interage com o produto, do papel que o produto assume no quotidiano das pessoas e como o pode tornar melhor.

Se eu vendesse produtos para gatos – comida ou brinquedos por exemplo – eu ia querer filmar meu comercial nesse lugar! Porque torna evidente a importância que os gatos podem ter na vida das pessoas, e de tudo o que as pessoas estão dispostas a fazer por seus animais de estimação.

Conseguir associar o produto a este “esforço” e “dedicação” seria certamente bem sacado e uma boa forma de posicionar o produto bem juntinho do “coração” dos clientes.

Para manter seus 15 gatos ocupados, Peter Cohen transformou o interior da sua casa na Califórnia num recreio para felinos, com passarelas, túneis, plataformas e poleiros ao longo de sua casa. Um verdadeiro paraíso dos gatos.

Confira o vídeo acima e me diga se tenho razão.

casa-gatos-1

casa-gatos-2

casa-gatos-3

E depois, se conferir com atenção, verifica que o vídeo faz parte de uma ação de visibilidade para uma plataforma online de comerciantes de decoração de interiores (a Houzz.com), que com esta ação está quase a atingir o 3 milhões de visualizações.

Nem eles estariam à espera desta atenção, que prova bem meu argumento principal, de como a ideia criativa aparece muitas vezes a partir da observação de como a pessoa interage de forma particular e significativa com o produto (neste caso o interior de uma casa).

E vocês, o que acharam?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

The Lampster, a luminária com mais estilo que você já viu

Uma boa iluminação no nosso local de trabalho ajuda bastante na produtividade…

Um case que transforma o seu iPhone em uma arma de verdade

Muitas pessoas enxergam a rápida evolução dos smartphones como um ótimo benefício para a sociedade. Afinal, pagando as prestações em dia, o todo acaba por se armar com diferentes modelos de “mini-amplificadores” que potencializam suas mensagens para mundo. Com um destes dispositivos em mãos, a possibilidade de se gerar buzz através de uma foto ou 140 toques é multiplicada por mil. Ou seja, esta arminha já detém um incrível alcance, certo? Errado. Dois sujeitos resolveram ir além e conseguiram transformar o iPhone em uma arma de verdade. O ex-policial Froom – sócio na criação do case – teve a ideia depois de ser assaltado em casa e ver que, mesmo com algumas armas em sua residência, não teve como se safar da situação. O Yellow Jacket – nome do case-arma – quando acionado, libera uma descarga elétrica de até 650 mil volts, que é capaz de “derrubar um homem adulto, agressivo e encorpado”; veja o vídeo que explica todo o funcionamento:  O fabricante garante que a possibilidade do próprio usuário tomar um choque enquanto estiver usando o aparelho – e não a “arma” – é nula, pois o case vai ser bem seguro para evitar qualquer tipo de acidente. Um fato interessante deste case é que, por ter uma bateria extra, ele possibilita 20 horas extras de uso para o smartphone.  A ideia chega a ser criativa, mas não sei se seria legal todo mundo ter uma arma dessas no bolso, não acha? O que me alivia é o fato de que no Brasil,  o uso deste tipo de arma pela população civil é proibido, mas sabe como é… sempre tem o primo/amigo engraçadinho que volta dos E.U.A. com alguma “novidade” na mala. Mas e aí, diz o que você achou da ideia? Assustadora ou bacana?