Para divulgar a Akin, uma associação que cuida e direciona pessoas com dificuldades mentais em todo um novo cenário, a agência Shalmor Avnon Amichay Y&R Interactive criou esse vídeo mostrando que essas pessoas querem apenas uma coisa: serem tratadas como pessoas normais…

 Uma ação bem simples e direta que vale a pena ser compartilhada, não acha?

6 comentários
  1. só uma observação: a melhor tradução para o português seria "Obrigado por nos tratar como pessoas comuns" e não "pessoas normais". são palavras com significados bem diferentes. "normalidade" é um conceito muito subjetivo quando nos referimos a seres humanos. no mais, o vídeo é muito legal.

  2. Paula Pimenta de Pádua
    Como é importante as pessoas respeitarem os que são"diferentes", eles tb merecem oportunidades , sem preconceitos, pq são humanos e podem tanto qto aqueles que se dizem "normais".Eles podem muito + pela pureza que são e qdo querem ajudar os outros, digo isso por conhecimento de causa, e sei que merecem todo aplauso deste mundo.

  3. tratar como pessoa comum, é a mesma coisa que cota nas universidades, isso é uma cultura de anos que é difícil dos brasileiros perde. Eu acredito que um dia nós perdemos essa mania suja de anos. Essas pessoas num tem que ser tratados como pessoas comuns e sim ser vistos e reconhecidos como tal!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Passeata de formigas contra a Baygon

Formigas reais, cartazes reais e motivos reais: protestar contra a Baygon. Confira o protesto: Viralzinho bem legal. Essa ideia de usar insetos como ‘mídia’ me lembrou essa outra ação usando moscas (aqui). Update 01.05.2010 A criação foi da Giovanni+DraftFCB e abaixo você confere o Making Of

PSP | Pequenas Doses

Para quem conhece o PSP, sabe muito bem que o ditado “tamanho…

O Facebook Home veio oficializar o uso do smartphone para fugir da realidade

O Facebook Home (a nova versão do FB para Android) parece querer se tornar a ferramenta oficial daqueles que usam o smartphone para fugir da realidade e/ou fazer uma das coisas mais irritantes e mal educadas que a tecnologia possibilita (ficando atrás apenas do uso da caixa alta para escrever, e do compartilhamento de pessoas acidentadas ou doentes no Facebook): ficar “fuçando” no celular, enquanto alguém fala contigo. E não sou eu que estou falando isso, e sim os comerciais. O Facebook Home garante aquela experiência maneira de substituição de realidade a qualquer momento, para que você não precise mais ter que encarar a vida real. Há anos os especialistas decretam a morte do email. Podemos começar a dizer que as conversas pessoais começaram a morrer agora no dia 12/04/2013? Hehehe.