Se você nasceu até os anos 90 deve se lembrar do programa “Você Decide”. O programa foi exibido de 1992 até os anos 2000 e cada programa apresentava um caso diferente, que teria seu final decidido pelo telespectador.

Mas o que isso tem a ver com grandes propagandas brasileiras? Pois, na comemoração de 50 anos da TV no Brasil, o programa mostrou alguns dos comerciais que marcaram na história da TV Tupiniquim. Com Chico Anysio como apresentador, os filmes apresentados eram as grandes referências da época, se tornando parte do dia a dia do brasileiro.

Os filmes mostrados e agências que os criaram são: Bombril (W/Brasil), Seagram (DPZ), Folha de S. Paulo (W/Brasil), Valisère (W/Brasil), Ray-O-Vac (Norton) e Philco (F/Nazca).

bombril-estudio-fusion-10-edit
Crédito da imagem: Marcelo Souza
Deixe uma resposta
Leia também

Vick lança rap dos palhaços Atchim & Espirro

É. Não tá fácil pra ninguém sobreviver neste mundão, não é mesmo? Pra não deixar a peteca cair e ser feito de palhaço pelos outros, temos de nos atualizar pra nos adaptarmos  rapidamente diante das drásticas mudanças de cenário e, antes que você interprete como um erro o título deste post, nós vamos simplificar o play/choque que você vai ter logo abaixo. Trata-se da volta daquela dupla de palhaços que – por mais que você não queira admitir – habitou a sua infância com assustadoras canções do estilo “patati patatá”, lembra? Pois então. “A Volta” da dupla de palhaços/rappers, Atchim & Espirro, resultado de uma criativa produção da agência Africa, veio prometendo abalar a carreira de grandes nomes como Criolo e Emicida que, se não ficarem espertos, podem chegar a perder no nível “viral“! Está foi a nova e original maneira que a Vick encontrou para divulgar e, na certa, viralizar seu novo posicionamento na comunicação de algo que todo mundo acaba por, vez e outra, contrair: a bendita gripe e o maldito espirro. Olha só o resultado: (feat. Fernandinho Beat Box) Não querendo desrespeitar o “excelente trabalho” que a duplinha fez durante nossa infância, mas – pessoalmente – prefiro eles atuando como rappers do #nonsense do que reviver aquele antigo espírito “palhacitos“! Que este seja o primeiro webhit, muito bem produzido, “para a nossa alegria”. Afinal, tudo que acaba por viralizar na internet, muitas vezes não foi – de fato – feito para “viralizar na internet”, né? (dica do Marcelo Tuma)