Usuários de cadeira de rodas encontraram uma forma original para protestar contra o uso irregular das vagas para pessoas com deficiência em estacionamentos de Lisboa, em Portugal.

Os lisboetas que nesse dia (11 de Novembro) tentaram estacionar o automóvel no parque ao ar livre do Saldanha, em Lisboa, viram todos os seus habituais lugares ocupados por cadeiras de rodas.

As cadeiras de rodas, algumas com os seus ocupantes, outras não, apresentavam recados escritos com mensagens como “Volto já”, “demoro só um bocadinho” ou “vou só beber um café”, as justificações habituais para quem, não tendo qualquer tipo de limitação física, estaciona o seu automóvel nos lugares reservados a pessoas com deficiência.

Iniciativas semelhante fora realizadas na cidade de Vila Real  (em Portugal, nas fotos) assim como em Boa Vista na Avenida Jaime Brasil, no dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

É uma iniciativa muito original para protestar contra o uso irregular das vagas para pessoas com deficiência e para o respeito pelo espaço público. Eu apoio 100% e acho super boa ideia a ação, que usa as mesmas “armas” para marcar posição. Concordam?

9 comentários
  1. Embora eu tenha achado a ideia sensacional, penso que há um porém. A matéria diz que a ação foi feita no dia 11/11, isso foi uma segunda-feira, e pelas fotos eles não perdoaram nem uma vaguinha. Eu sou um cara que respeita as vagas especiais, e pelo visto nessa hora eu teria que ficar rodando em busca de uma vaga livre pra mim. Eu iria então pagar o preço por aqueles que não respeitam? Será que ao menos não podiam fazer isso em um domingo?

  2. Independente de ser original ou não aqui no Brasil temos um problema muito maior do que somente a vaga para o candeirante ou a pessoa que tem necessidades especiais. Estou atualmente enfrentando este problema pois sofri um acidente muscular e não posso andar que não seja de cadeira de rodas pois não posso apoiar o pé no chão, mas como sou uma pessoa muito ativa não consigo ficar sem fazer as coisas. O que mais tem me chocado é que apesar dos locais terem as vagas para caldeirastes, independente do respeito a elas ou não, nenhum local ser preocupa realmente com as necessidades destes. COMO ASSIM?
    O que adianta fazer vaga para cadeirantes se:
    – O local não tem acessibilidade por não ter rampa;
    – o acesso a rampa não condiz com a utilização de uma cadeira de rodas, como grelhas onde as rodas caem dentro e/ou ficam presas, buracos e mais buracos nos pátios e calçadas, degraus de 1 ou 2 cm que sei lá para que servem mas atrapalham em muito a circulação dentre outros;
    – Elevadores que mais parecem latas de sardinha, e que muitas vezes não é possível um acompanhante ir junto para auxiliar, sem falar nas péssimas condições que muitos estão e ninguém esta nem ai para uma vistoria e autuação, afinal só é usado por quem não pode se locomover bem e não é bem este publico que os lugares estão pensando em atender por não serem uma maioria. SERÁ???
    Agora o que mais tem me deixado indignado é a falta de respeito e sensibilidade que o ser HUMANO (não sei onde HUMANO) esta se deixando arrebatar, pois em todos os locais que fui, TODOS, me senti como se fosse alguém transparente, um fantasma, um inexistente, pois ninguém se quer olhava para mim ou me auxilia com algo, que fosse um simples por favor deixe eu tirar este objeto para facilitar sua passagem, ao contrário disto as pessoas veem em minha direção com suas bolsas, pertences, filhos e outras coisitas mais, e praticamente te atropelam, só não fazem isto porque eu desviei, evitando piorar minhas condições.
    Terei que ficar nestas condições por mais 30 dias, mas uma promessa que me fiz é de que assim que estiver em condições de voltar as minhas atividades normais, pois não tenho carro adaptado e dependo da minha esposa, pai, mãe e amigos para me locomover, vou tomar ações para que outras pessoas com as mesma necessidades, e que tem direito de ir a qualquer lugar, possam ir a qualquer lugar mesmo, sem ter que se oprimir ou limitar a nada.

    Segue abaixo alguns locais visitados onde encontrei dificuldades:
    Tok Stok – Marginal Tietê e Ibirapuera
    Etna – Marginal Tietê e Morumbi
    Magazine Luiza – Marginal Tietê (tem um tapete grosso na porta com 3 metros e um degrau para ajudar)

    Agora somente para rirmos, fomos a Etna Morumbi (na Berrini) onde estacionamos o carro na vaga para portador de necessidades especiais para que pudéssemos retirar a cadeira de rodas, quando estacionou um casal ao nosso lado, em outra vaga para portador de necessidades especiais, minha esposa chocada, ainda tirando a cadeira do porta malas do carro, virou-se ao casal e disse: "Esta vaga é para portadores de necessidades especiais!!". O mais incrível foi a resposta do rapaz: "É que minha esposa esta grávida!!" e saiu andando. A pergunta que tenho para este casal e todos os outros que assim fazem-se do direito de utilizar a vaga é: Qual a bendita necessidade especial tem estas pessoas, seria TRANSPLANTE DE CÉREBRO?

    Boa tarde a todos e repensem nas atitudes que tomamos, amanhã podemos ser nós do outro lado da vitrine, será que iremos gostar do que estaremos vendo???

    Hugo Werninghaus

  3. Não. Tinham que incomodar. Esse é o recado. Qdo o usuário regulamentado quer parar na vaga regulamentada e não consegue, se sente assim como vc. De outro jeito não atingem o objetivo.

  4. Alberto Paskin , com certeza, entendi esse objetivo. Só acho que, assim como são apenas os mal educados que incomodam (e realmente acho um abuso), eles podiam pensar em uma ação onde o troco fosse na mesma moeda pra eles, e não pra sociedade em geral. Foi isso que quis dizer.

  5. Hugo, isso é bem complicado mesmo no Brasil, a necessidade aqui vai muito além do respeito às vagas. Tem que haver uma reforma no comportamento brasileiro, ou um "transplante de cérebro" como vc disse.

  6. James Sabel E como irão estacionar apenas onde os abusados estacionam? Como vão saber em quais vagas? E se ainda assim soubessem e ocupassem só as vagas deles, não acha que eles iriam então parar na tua vaga? E não é todo dia. Fizeram uma vez.

Deixe uma resposta
Leia também

Paris na Prisão

Para divulgar a entrevista da patricinha Paris Hilton na Sky television, que aconteceu na CNN, no programa do Larry King, foi criado essa peça ( Pela DDB) fazendo a alusão ao caso da prisão dela. clique ampliar Quer melhor ação de oportunidade que essa?! Boa! E ela na prisão, mas com as unhas bem feitas né ?! rsrsrsrs. Coitado do cachorrinho…

CCAA | TweetBomb | Coloque uma bomba no Twitter de seus amigos

Pegando o gancho do seu novo comercial, estrelado por Bruce Willis (aqui),…

Caneca Quente

Mais uma criativa paça para a NRDC, da Dentsu, BeiJing, China. Na ação, uma caneca é usada como mídia alternativa. clique ampliar Para alertar sobre o aquecimento global, uma caneca com uma tinta especial sensível ao calor que só é revelada quando a água quente é derramada no copo foi usada para passar a excelente mensagem sobre esse problema do derretimento das calotas polares. clique ampliar Por isso que eu digo, que as idéias mais simples, são as mais criativas. Ações como essa cria-se consciência no instante que são postas à público. Advertising Agency: Dentsu, BeiJing, China Art Director / Copywriter: Danny TangShouBin Confira mais ações da NRDC aqui.