X-men: como a realidade do novo filme se liga a nossa?
Fazia tempo que não via uma campanha de marketing tão interessante ao redor de um filme. Na verdade, o ARG que envolveu o filme Batman: O Cavaleiro das Trevas, foi tão bom, que eu fiquei esperando algo similar… Ainda não veio, mas a campanha do X-Men: Dias de um Futuro Esquecido, está bem perto disso, apresentando uma série de micro-histórias que mostram como seria a nossa realidade, caso os mutantes existissem e exercessem algum tipo de influência nos grandes acontecimentos.

Essa campanha, que busca aumentar a imersão do espectador, expandindo o universo que veremos no cinema, começou com o hotsite da Trask Industries, apresentando a empresa que terá grande importância no desenvolvimento da tecnologia daquela realidade.

xmen 2014

Depois ficou ainda mais interessante, inserindo Magneto em uma das mais famosas teorias da conspiração: Quem matou Kennedy? Em uma série de artigos, nos é apresentada o que parece uma importante parte da trama: Erik Lehnsherr teria usado o seu domínio sob o magnetismo, para alterar a trajetória da bala disparada por Lee-Harvey Oswald e matar o presidente americano?

Magneto é responsável pela morte de Kennedy?

Agora, um novo hotsite é lançado, e mostra de forma mais ampla, o real tamanho da influência dos mutantes na história, iniciando na crise dos mísseis cubanos (com os fatos ocorridos no final de X-Men: Primeira Classe), até o ano de 2018, quando Bishop cria uma milícia pró-mutantes.

Timeline dos 25 momentos

Como eu adoro esse tipo de marketing, que dá mais informações sobre a história, ao invés de ficar apenas martelando que eu devo ver o filme! Ele apresenta o universo do filme, ambientando o espectador, cria a vontade de saber mais (o que resulta em vontade de ver o filme para satisfazer essa curiosidade), e conta uma história, que é a forma mais eficaz de convencer alguém a comprar o que você quer (nesse caso o ingresso) que ela compre.

Hotsites

Fontes: Update or Die, Hollywood Reporter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Youtube Red é a versão paga do Youtube

E se as pessoas queriam mais funções para o app do Youtube,…