Skol distribui 'Apito de Respeito' no Carnaval para combater assédio
O melhor do carnaval é poder curti-lo como quiser. No bloco, na festa, em casa. Se vai ter folia, paquera, fantasia ou momento de relax, fica a critério de cada um.

O importante é ter respeito, seja onde estiver ou pelo que decidir fazer. Por isso a SKOL, junto com as meninas da campanha “Apito Contra o Assédio” – Lia Marques, Marina Gabos e Amanda Cursino – criaram neste carnaval a ação #ApitoDeRespeito e distribuiu em blocos de Florianópolis, Salvador e Recife mais de 5 mil apitos e balões com frases de Respeito para as mulheres que estavam se divertindo na festa.

“Respeito é uma coisa mutua. Independente do que eu sou ou o que visto, eu mereço ser respeitada. Muitas vezes os homens oprimem as meninas com cantadas pesadas, um elogio para eles pode ser muitas vezes uma forma de opressão pra mim. Adorei o apito e as mensagens de Skol, é muito importante ter uma ação assim”, conta Amanda moreno, 18, estudante de enfermagem.

O cara passou dos limites? Apita. Invadiu seu espaço sem ser convidado? Apita. Está se sentindo ameaçada? Apita também.

Skol distribui 'Apito de Respeito' no Carnaval para combater assédioSkol distribui 'Apito de Respeito' no Carnaval para combater assédioSkol distribui 'Apito de Respeito' no Carnaval para combater assédio

A criação ficou por conta da F/Nazca Saatchi & Saatchi.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Findus faz intervenção no Dailymotion

Já postamos aqui algumas intervenções criativas em sites de vídeos como Youtube e Vimeo. Dessa vez é a marca Findus que faz uma intervenção no Dailymotion promovendo a sua pizza para microondas que fica pronta em 3 minutos. Na ação, alguns vídeos selecionados (aqui,aqui e aqui) foram usados, onde no decorrer de 3 minutos, o vídeo dá uma pausa e um bip parecido com o emitido por um microondas é disparado, e uma porta se abre mostrando a pizza pronta. Bem divertido. A criação é da agência Grey Paris.

Mastercard apresenta sua nova marca e identidade visual

A Mastercard, uma das marcas mais reconhecidas do mundo, revelou a evolução…

Cansado? O McDonald’s tem a solução

Nada como um copão de café para dar aquela acordada quando precisamos…

A história do Marketing de Guerrilha

  Vemos quase todo dia novas ações de Guerrilha surgindo pelo mundo. Já postamos diversas guerrilhas criativas aqui no Comunicadores e você certamente já viu muitas outras em outros blogs. Mas uma coisa que pouca gente sabe é a história do Marketing de Guerrilha. Por isso, baseado em um especial do blog WebUrbanist, resolvi contar um pouco pra vocês neste post a origem dessa técnica de comunicação que é tão comum hoje em dia e está crescendo cada vez mais. Separei na forma de uma linha do tempo pra facilitar o entendimento: 1940 – Educação Naquela época, o principal objetivo das propagandas era educar o público-alvo em vez de distrair ou engajá-los. Os anunciantes presumiam que os consumidores precisavam ser ensinados. 1960 – Grandes campanhas A publicidade era composta principalmente por grandes orçamentos, grandes exposições, jingles cativantes, cartazes em público, anúncios em jornais e revistas e mais tarde, comerciais de televisão. 1970 – Menos eficazes Os anunciantes começaram a notar que as suas técnicas publicitárias foram ficando cada vez menos eficazes. Até a década de 70, a publicidade no mundo estava pronta para uma revolução. 1984 – Revolução E essa revolução veio quando o livro das idéias de Jay Conrad Levinson para publicidade com grandes resultados e pequeno investimento chegaram as livrarias. As idéias que os pequenos empresários tiveram a partir do livro mudaram completamente a forma de como a publicidade era feita. Através das novas técnicas de guerrilha, as pequenas empresas estavam começando a se diferenciar no mercado. 2008/2009 – Investimento Atualmente, com a saturação da mídia tradicional, a fragmentação da audiência e das mídias, e a dispersão do target, grandes empresas vêm investindo no Marketing de Guerrilha. Faz-se necessárias cada vez mais uma comunicação mais ousada e criativa, que não dependa tão somente de grandes investimentos de mídia e piadas prontas. Se você quer se aprofundar mais nesse assunto e entender a guerrilha nos tempos antigos e atuais, sugiro a leitura completa do especial feito pelo blog WebUrbanist ano passado. E aí, pronto pra guerra?